SB Crédito Blog

Conteúdos para descomplicar

as finanças da sua empresa!

Marketing SB Crédito 10 de novembro de 2021
COMPARTILHE

IOF aumentou e agora?

O aumento do IOF impactou diretamente no acesso ao crédito por parte das empresas. No entanto, nem todas as modalidades de crédito foram afetadas.

De abril a novembro de 2020, o governo zerou o IOF sobre os empréstimos para facilitar a tomada de crédito durante a pandemia e ajudar os negócios a se manterem. Para custear o crescimento no número de beneficiados no Bolsa Família, de setembro a dezembro de 2021, a alíquota foi subiu para até 2,04% ao ano. Mas quais as consequência diretas do aumento do IOF?

Com isso, as linhas de crédito ficaram mais caras para as empresas. Especialistas afirmam que isso vai impactar diretamente na retomada da economia. E se isso só for válido para instituições financeiras? Nesse artigo vamos explicar como funciona o imposto e as possibilidades para acessar crédito sem a tributação.

O que é IOF?

Antes de mais nada é importante entender o que é o IOF e como ele é coletado. O Imposto sobre Operações Financeiras é um imposto federal que tem o objetivo de ser um regulador da economia. É através dele que a Receita identifica a oferta e a demanda por crédito no país.

As operações mais comuns de serem tributadas são:

  • Cartão de crédito;
  • Empréstimos;
  • Cheque especial;
  • Contratação e uso de seguros;
  • Antecipação de recebíveis;
  • Câmbio e
  • Resgate de investimentos

Contudo, nem todas as operações de crédito são tributadas. Compra com cartões de lojas, parcelamento sem juros e operações de financiamento imobiliário são alguns exemplos que não sofrem essa cobrança.

Desde já vamos trazer um ponto importante sobre esse imposto: ele só é cobrado nas transações feitas por instituições financeiras, como bancos.

Gráfico representativo do aumento do IOF. Quatro barras em tamanho crescente com uma linha demarcando o aumento.

Como o aumento do IOF impacta as empresas?

As empresas que esperavam a retomada da economia para investir e expandir são as principais atingidas pela mudança. Agora, mais do que nunca, é importante planejar com cuidado os investimentos para não comprometer o fluxo de caixa e o capital de giro.

O refinanciamento também não ficou de fora da mudança. Desde setembro, as dívidas que precisarem ser renegociadas tem incidência da nova alíquota no montante total. Logo mais explicaremos como realizar operações de crédito sem incidência alguma do imposto.

Ícone de notas de dinheiro

E as operações que não são de crédito?

Para as empresas que trabalham com importações e exportações, uma boa notícia: o aumento do IOF não afeta as transações cambiais. Fora isso, a nova alíquota vai afetar principalmente as empresas descapitalizadas e que fazem operações de crédito para manter a operação.

Assim como não atinge o câmbio, a mudança na alíquota não trouxe mudanças no resgate a investimentos. Para os investimentos no Tesouro Direto, fundo DI e de curto prazo, a tributação segue a mesma quando o resgate é feito em menos de 30 dias.

Mão fazendo sinal de joinha com três estrelas

A luz no fim do túnel e como contornar o aumento do IOF

É nesse momento que o gerente financeiro e o empreendedor se sentem amarrados e com a bola de neve das dívidas e dos impostos crescendo cada vez mais.

Mas pode ficar calmo(a), existem modos de operar crédito sem sofrer com o aumento da tributação. E o motivo é simples: fazer parcerias de negócios com empresas que não recolhem IOF, como é o caso das empresas de crédito.

A principal vantagem é com relação à diminuição das taxas. Portanto, sem o IOF e outras tributações cobradas pelas grandes instituições financeiras, as empresas de crédito podem oferecer taxas melhores, com maior flexibilidade nos prazos de pagamento e que se adequam às necessidades do negócio.

Uma das principais soluções ofertadas pela SB Crédito é a antecipação de recebíveis – modalidade com as menores taxas do mercado. Em outras palavras, a operação nada mais é do que as vendas que a empresa fez e que receberia no futuro entrando no caixa agora, bem antes do previsto.

>> Como é calculada a taxa da antecipação de recebíveis

>> Por que a antecipação de recebíveis possui taxas de juros mais competitivas do que instituições financeiras tradicionais?

Quebrando o tabu

Até não muito tempo atrás a antecipação de recebíveis era conhecida apenas por auxiliar empresas que não tinham planejamento financeiro e era usada apenas em casos de emergência.

Com as taxas mais baixas e a isenção do IOF nas empresas de crédito, a antecipação passou a ser uma aliada estratégica para os negócios. Utilizando essa modalidade de crédito, as empresas podem trocar dívidas mais caras por mais baratas, otimizando recursos e se planejando estrategicamente para a expansão das operações.

Para começar a antecipar recebíveis e realizar outras operações de crédito sem incidência de IOF, entre em contato com os nossos especialistas. Iremos analisar o seu caso para oferecer a melhor solução financeira para seu negócio.

 

Mercado financeiro, investimentos, recebíveis?
Fique atualizado e saia na frente!
Inscreva-se em nossa newsletter e receba conteúdos em primeira mão.