SB Crédito Blog

Conteúdos para descomplicar

as finanças da sua empresa!

Marketing SB Crédito 17 de junho de 2022 5 minutos
COMPARTILHE

Custo do dinheiro: o que é e quais as consequências no mercado

Quando falamos de crédito não podemos deixar de fora o custo do dinheiro. Nesse artigo vamos explicar o que ele é e quais as suas implicações nos negócios.

O custo do dinheiro é um pilar muito importante no planejamento financeiro das empresas. É só a partir da análise dele que é dada a viabilidade de algumas operações e investimentos.

Ele nada mais é do que o custo para ter acesso ao dinheiro, seja através de operações de crédito ou do recebimento de investimentos. Ou seja, os custos operacionais para que aquele dinheiro movimente a economia e traga retornos financeiros aos envolvidos.

Nesse artigo vamos ver na prática os seus impactos e como ele se faz presente em três esferas:

  • No microambiente das empresas;
  • Nas carteiras de investimentos;
  • No macroambiente econômico

Indicadores econômicos

De forma inicial, o custo do dinheiro está intrinsicamente relacionado com o macro ambiente econômico. Em momentos de crise, há pouca disponibilidade do dinheiro no mercado, seguindo a lei da oferta e da procura, é mais caro ter acesso a uma quantia.

No cenário oposto, no qual a economia é estável e apresenta crescimento, há mais dinheiro disponível. Portanto, o custo tende a ser menor. A Taxa Selic (taxa básica de juros) é o principal indicador para acompanhar o custo do dinheiro. Assim, quanto maior a Selic, maior será o custo do dinheiro.

Além dela, indicadores financeiros como Índice de Confiança do Consumidor – que analisa quão confiantes estão as pessoas com relação a sua situação financeira – e o Índice da Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) – considerado a prévia do PIB brasileiro – são ótimas formas de prever se o custo do dinheiro está aumentando ou diminuindo.

Como o custo do dinheiro afeta meus investimentos?

Vimos que se há menos dinheiro disponível no mercado devido a uma crise econômica, o custo será maior e vice e versa. Mas se tem menos capital disponível, como as instituições financeiras e FIDCs sustentam um maior número de concessões de crédito?

Muitas vezes o recurso que é disponibilizado por essas instituições não é próprio e sim de investidores. Dessa forma, os investidores buscam alocar seus recursos onde o retorno financeiro é maior. Em cenários de instabilidade na economia, em comparação com outras aplicações, há uma maior segurança na liquidez em investimentos de renda fixa que são destinados a concessão de crédito, como CDBs (Certificados de Depósitos Bancários) e debêntures.

Para garantir que não haverá perda, essas modalidades de investimento podem ser atreladas a um indicador econômico, como a taxa Selic. Assim, para investidores, um maior custo do dinheiro significa maior retorno financeiro. No entanto para os FIDCs e instituições financeiras será necessário compensar essa situação.

Como afeta a minha empresa?

Você deve estar se perguntando: se o custo do dinheiro é um reflexo da economia, ele também deve ter um impacto direto nas empresas, certo?

Quando falamos de empresas, isso está diretamente relacionado com o acesso ao crédito e se materializa na taxa de juros sobre cada empréstimo ou operação de crédito. Essa taxa leva em conta alguns fatores:

  • O tipo de operação;
  • A taxa de endividamento da empresa;
  • Os custos operacionais da concessão de crédito;
  • O risco da operação;
  • O retorno para os investidores entre outros.

Com maiores retornos aos investidores, parte do custo será repassado aos clientes finais: quem toma o crédito.

Por que acompanhar o custo do dinheiro

Do mesmo modo como afeta a sua empresa, o custo do dinheiro afeta aos seus clientes e parceiros de negócios. Estar atento a esse indicador permite que a sua empresa tome decisões estratégicas que acompanham o planejamento financeiro.

Um custo do dinheiro elevado não necessariamente traz más notícias aos negócios, é apenas preciso revisitar as estratégias de gestão financeira que seriam adotadas. Nesse post, recomendamos quais indicadores financeiros para ficar de olho na hora de revisar o planejamento financeiro. Por fim, é importante ter em vista na gestão financeira que diferentes instituições repassam o custo do dinheiro em prazos e formas distintas.

A nossa principal solução em crédito descomplicado para empresas é a antecipação de recebíveis e temos como propósito ajudar nossos clientes a crescerem e a realizarem sonhos. Para saber o que muda na antecipação de recebíveis entre instituições financeiras e FIDCs, recomendamos a leitura desse artigo ou solicite o contato de um especialista.

Mercado financeiro, investimentos, recebíveis?
Fique atualizado e saia na frente!
Inscreva-se em nossa newsletter e receba conteúdos em primeira mão.